Agora é lei no RJ! Bibliotecas Públicas e Privadas sob a supervisão de um Bibliotecário formado

biblioteca_escolar_by_ciclomono-d6chnsf

Arte de Tania juarez y Carlos Vélez

Texto do Sindicato dos Bibliotecários do Rio de Janeiro

Nesta quarta, na ALERJ, também foi votado o projeto do Deputado Waldeck Carneiro e aprovado, que trata da Biblioteca Escolar. Em outubro de 2015, o Deputado esteve na sede do Sindicato e durante a reunião foram tratados vários aspectos sobre o projeto. Sendo destacado, a obrigatoriedade do Bibliotecário e a questão da abertura de concurso público para atender um pleito de nossa categoria, já que há mais de 20 anos o estado não abre concurso para essa área.

TEXTO AUTOGRAFADO
PROJETO DE LEI Nº 903-A/2015

DISPÕE SOBRE A OBRIGATORIEDADE DA INSTALAÇÃO DE BIBLIOTECAS ESCOLARES EM TODAS AS UNIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS DE EDUCAÇÃO BÁSICA, NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, COM BASE NA LEI FEDERAL Nº 12.244/2010.

Autor(es): Deputado WALDECK CARNEIRO, FLAVIO SERAFINI

A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
RESOLVE:
Art. 1º – Ficam todas as unidades públicas e privadas de educação básica, no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, obrigadas a instalar bibliotecas escolares, com base na Lei Nacional nº 12.244, de 24 de maio de 2010.

§1º – A biblioteca instalada na unidade escolar deverá contar com acervo mínimo de um título para cada aluno matriculado.

§2º – Caberá ao respectivo sistema de ensino ou às direções das unidades escolares, no caso das unidades particulares, determinar a ampliação deste acervo conforme sua realidade, bem como divulgar orientações sobre guarda, preservação, organização e aquisição do acervo, bem como sobre o funcionamento da biblioteca escolar.

§3º – Na biblioteca instalada deverá conter um terminal de computador a cada 100 (cem) alunos, com acesso à internet, para a realização de pesquisas complementares, obtenção de atualização dos exemplares disponibilizados fisicamente ou ainda qualquer outra informação essencial à conclusão do estudo realizado.

Art. 2° – Para os efeitos desta Lei, considera-se biblioteca escolar a coleção de livros, periódicos, materiais videográficos e demais documentos registrados em diferentes suportes, destinados à consulta, pesquisa, estudo ou leitura, reunidos em ambiente físico situado nas dependências da unidade escolar.

§1º – As bibliotecas escolares de que trata esta Lei funcionarão sob a supervisão de um Bibliotecário, devidamente formado em curso superior de graduação.

Art. 3° – As unidades escolares deverão se adequar ao disposto nesta Lei até o dia 24 de maio de 2020, respeitado o exercício da profissão de Bibliotecário, disciplinado pelas Leis nº 4.084, de 30 de junho de 1962, e 9.674, de 25 de junho de 1998.

Art. 4º – Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, em 06 de abril de 2016.

DEPUTADO JORGE PICCIANI
Presidente

Anúncios

Dourados será a 2ª do Brasil com uma biblioteca por escola

5654465464d4f85f41ca1cd46eabbe9879042682c1069

Escola Laudernira Coutinho é uma das escolas que possui biblioteca (Foto: Chico Leite).

Dourados será a segunda cidade do Brasil que já esta implantando a Lei 12.244/10, com quase 100% de bibliotecas escolares funcionando em prol da Educação de qualidade. Hoje, 90% das escolas de Dourados possuem bibliotecas. Essa é mais uma ação do prefeito Murilo Zauith, que busca melhorar ainda mais a qualidade da educação no município e, ao mesmo tempo, incentivar a leitura.

As escolas que não têm espaço de leitura possuem Cantinho de Leitura, Mala Viajante e Baú Encantado. “Todas as bibliotecas possuem projetos de leitura em conjunto com professores de língua portuguesa, história, artes e língua inglesa”, disse a bibliotecária da Secretaria de Educação, Rose Liston.

Ela explica, ainda, que na administração do prefeito Murilo, a perspectiva é implantar legalmente o Núcleo de Bibliotecas, que ficará responsável por todo processo de acervo, projetos pedagógicos e formação continuada de auxiliares de biblioteca.

Leia mais sobre o assunto em O Progresso